Pesquisar este blog

O COLCHÃO DOS MEUS SONHOS

0
Hoje ao entrar em uma loja de colchões, a vendedora me deu uma aula sobre a arte de deitar e descansar. Me explicou tudo que eu nem imaginava saber sobre colchões. Até então eu pesquisava colchões pelo preço e não pela qualidade. Aliás achava tudo muito complicado.
Sai de lá satisfeita. Não comprei (ainda), mas já decidi qual comprar. Agora só falta do dinheiro, pois um colchão a altura das minhas costas não é muito barato, afinal: TUDO QUE É BOM CUSTA CARO. 
Encontrei esse artigo da revista.penseimoveis.com.br, espero esclarecer as duvidas na hora de comprar um bom colchão.

DICAS PARA ESCOLHER O COLCHÃO IDEAL
Quantas vezes na vida alguém compra um colchão? Provavelmente não mais do que dez, se levarmos em conta que um colchão dura, no mínimo, cinco anos. Por isso, é na hora de escolher que aparecem as dúvidas sobre os tipos disponíveis no mercado, tamanhos, vantagens e desvantagens. Algumas informações podem fazer toda a diferença entre uma noite bem dormida e um amanhecer com dores no corpo e a sensação de sequer ter fechado os olhos.
Tipos de colchão 
Existem dois tipos principais: os de mola e os de espuma. Os de mola, como o nome indica, têm a estrutura interna formada por molas de aço, que podem ser interligadas - no modelo bonnel - ou ensacadas individualmente - no modelo pocket. No primeiro caso, o movimento de uma mola é transmitido a todas as outras, ou seja, quando alguém se deita em um lado, a pessoa deitada no lado oposto também sente a cama balançar.
Já no modelo pocket, o movimento fica restrito às peças acionadas, o que dá mais estabilidade. "É por isso que indicamos este modelo para casais cujos pesos dos cônjuges diferem em mais de 30 quilos", explica Andreu Monteiro, especialista responsável por treinar os funcionários da loja especializada Ortobom. Se esse mesmo casal optar por colchão de espuma, Monteiro sugere a escolha da densidade ideal para o parceiro mais pesado.
Densidade
Densidade, principal fator de classificação dos colchões de espuma, é o valor que relaciona peso e área. A partir do peso de quem vai utilizar o colchão, escolhe-se a densidade - indicada na embalagem pela letra D. "Pela tabela do Inmetro, um D28 [densidade 28] é indicado para pessoas com até 60kg", explica Monteiro. Quem pesa até 90kg deve optar pelo D33, e acima disso, D45. Na prática, quanto maior a densidade, mais firme o colchão. Confira a tabela que relaciona peso, altura e densidade.
Ortopédicos
Quem não gosta das alternativas mais moles, pode optar, ainda, por colchões ortopédicos, que têm uma tábua de madeira por dentro e uma camada de espuma por fora, ficando mais firmes. "Em geral este é o modelo indicado por médicos para quem tem problemas como hérnia de disco, por exemplo", diz Monteiro.
Nasa e látex 
Existem, ainda, os colchões de espuma viscoelástica, conhecida como a espuma da Nasa, por ter sido desenvolvida pela agência espacial americana. "O material foi criado para absorver o impacto do lançamento da nave, e também para ser confortável no espaço. É um tipo de espuma que não exerce pressão contrária, tem construção celular diferente", esclarece Monteiro.
A espuma Nasa promete se adaptar a diferentes biotipos, o que confere conforto a quem a usa. Quando a pressão é retirada - ou seja, após a pessoa se levantar - a espuma volta ao normal, sem manter o formato do corpo e, consequentemente, sem deformar. A capacidade de adaptação torna o modelo indicado, por exemplo, para o casal com grande diferença de peso.
Alternativo à mola e à espuma, também existe o tipo látex, feito com o material extraído da seringueira. "É um modelo que também não deforma e é firme", detalha Lilian. "Ele repele poeira e ácaros e é ecologicamente correto", completa Sérgio Zylbersztejn, professor da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre e ortopedista da Santa Casa da Misericórdia da capital gaúcha. Apesar de exaltar o aspecto sustentável do colchão, o médico avisa que pessoas alérgicas a látex devem "ficar bem longe" do modelo.
Magnéticos
É possível, ainda, encontrar os chamados colchões magnéticos, que têm pequenos ímãs (magnetos) na parte interna e muitas vezes são anunciados como tendo funções terapêuticas. Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o produto só pode ser registrado co
mo tendo propriedades terapêuticas se o fabricante comprovar tais características por meio de pesquisas, relatórios e laudos técnicos, entre outros.
Com ou sem o box?
Os especialistas lembram que se pode comprar só o colchão ou optar pelo conjunto que inclui o box - combinando os tecidos de acabamento, por exemplo. Colchões de mola não devem ser usados em camas com estrado, pois deformam, por isso precisam da base única encontrada no box.
Entre as opções das marcas existe, por exemplo, o box baú, que tem compartimento interno para guardar edredons, roupa de cama, etc. O box com cama auxiliar reserva espaço para um segundo colchão.
Durabilidade
Quanto à durabilidade dos colchões, os representantes das marcas concorrentes enfatizam: depende do cuidado que a pessoa tem com a peça. Seguindo as recomendações das fabricantes, modelos de espuma simples têm vida útil de entre cinco e oito anos, enquanto os de mola duram entre dez e 15 anos - já que o aço das molas resiste mais à ação do tempo do que a espuma.

Read more

SÍNDROME DOS OVÁRIOS POLICÍSTICOS

0

A Síndrome dos Ovários Policisticos ocorre em 6 a 10% das mulheres que estão na idade fértil (20 a 44 anos). Para se ter uma idéia da importância destes dados, estima-se que no mundo existam cerca de 100 milhões de mulheres com esta doença. No Brasil, se considerarmos os dados do último censo IBGE podem existir 2,5 milhões de mulheres com esta síndrome, cerca de 800 mil mulheres no estado de São Paulo, 300 mil no estado do Rio de Janeiro, 180 mil no estado do Paraná e 400 mil no estado de Minas Gerais. Estes números são suficientes para entendermos a importância desta síndrome.

O que é Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP)?
É uma síndrome caracterizada por alterações hormonais que podem repercutir no organismo causando vários sintomas. Como conseqüência, ao invés de se formar um único folículo no ovário, que é um processo natural e normal, formam-se vários que ficam “acumulados” e não liberam os óvulos; eles não se rompem. Daí o nome “ovários policisticos” que, como veremos mais adiante, não é alteração orgânica obrigatória nesta síndrome. Existem vários hormônios que participam destas alterações, mas os principais são os androgênios (hormônios masculinos normalmente fabricados pelos ovários, em quantidades pequenas).
Acredita-se que a SOP tenha caráter hereditário e muitas publicações científicas têm confirmado esta possibilidade. Foi observado este diagnóstico entre irmãs e alterações metabólicas em irmãos destas pacientes que mesmo sendo do sexo masculino, apresentaram alterações laboratoriais idênticas as suas irmãs com esta síndrome. Filhas e irmãs de mulheres com SOP têm 50% mais de chance de desenvolver este problema.
O diagnostico é feito através do histórico da paciente, exame clínico e exames laboratoriais.

Sintomas
- Menstruação irregular: é uma das principais características. As menstruações vêem esporadicamente podendo demorar até 90 dias entre uma e outra. Muitas vezes elas só aparecem quando as pacientes recebem medicamentos para estimular. Esse sintoma é comum em grande parte das mulheres com essa síndrome.
- Obesidade: pelo menos metades dessas mulheres estão acima do peso, isto é, o Índice de Massa Corpórea (IMC) está acima dos 25 anos (lembrete: IMC = Peso /Altura ao quadrado). Esse é um fator fundamental para futuras complicações desta doença. A circunferência abdominal superior a 88cm está associada a um maior risco de problemas cardíacos(alguns já consideram o valor máximo de 80cm).
- Infertilidade: devido às alterações hormonais, essas mulheres passam a ovular menos ou de maneira inadequada e por isso podem ter dificuldade em engravidar. Das causas de infertilidade o fator ovulatório ocupa um lugar de destaque e 75% é devido a esta síndrome. Além disso, essas mulheres têm um alto índice de abortamento.
- Hirsutismo: é o aparecimento de pêlos em locais onde normalmente não deveriam existir na mulher (face, tórax, glúteos, ao redor dos mamilos, região inferior do abdômen e parte superior do dorso).
- Acne: 30% das mulheres com SOP têm este sinal que consiste num processo inflamatório da pele do rosto, caracterizada por erupções superficiais causadas pela obstrução dos poros.
- Alopécia: é a queda em excesso de cabelos na região do couro cabeludo levando á rarefação de pêlos, comum aos homens e raro nas mulheres.
- Seborréia: é a oleosidade da pele e couro cabeludo.
- Acantosis nigricans: é aumento da pigmentação da pele (manchas escuras) em áreas de dobras, como pescoço e axilas.

A SOP não pode ser prevenida, mas quanto mais precoce for o diagnóstico, menor será a chance de complicações futuras.
Já na adolescência podem ser notados os sinais desta síndrome e por isso, além dos fatores hereditários que podem prenunciar o surgimento futuro desta doença (mãe e irmãs), deve-se estar atento à obesidade, à quantidade de pêlos no corpo e ao padrão menstrual alterado, geralmente longo, alterações estas que podem ser notadas pelos pais.
Uma vez que entre as causas mais freqüentes de infertilidade está o fator ovulatório e a SOP é a mais comum, conclui-se que o diagnóstico precoce pode evitar as complicações, entre elas a infertilidade. Quanto mais precoce for o diagnóstico, mais fácil será a cura ou o equilíbrio da doença.
A Síndrome dos Ovários Policísticos deve ser diagnosticada e tratada já na adolescência devido às complicações reprodutivas, metabólicas e oncológicas que podem estar associadas a ela. O melhor tratamento preventivo é uma dieta alimentar equilibrada e um estilo de vida saudável.

Tratamento de Síndrome do ovário policístico
Foi demonstrado que perder peso (o que pode ser difícil) ajuda com a diabetes, a pressão arterial alta e o colesterol alto. Mesmo uma perda de peso de 5% do peso corporal total mostrou ajudar com o desequilíbrio hormonal e também a infertilidade.
-Medicamentos usados para tratar dos hormônios e ciclos menstruais anormais decorrentes da síndrome de ovário policístico incluem:
-Pílulas anticoncepcionais ou comprimidos de progesterona, para ajudar os ciclos menstruais a se tornarem mais regulares
-Metformina, um medicamento que aumenta a sensibilidade do corpo à insulina, pode melhorar os sintomas da síndrome de ovário policístico e às vezes fará com que os ciclos menstruais sejam normalizados. Para algumas mulheres, ele também pode ajudar com a perda de peso.
-Análogos do hormônio liberador do hormônio luteinizante (LHRH)
O tratamento com citrato de clomifeno faz com que o óvulo amadureça e seja liberado. Algumas vezes as mulheres precisam dele ou de outras medicamentos para fertilidade a fim de engravidarem.
Medicamentos ou outros tratamentos para crescimento anormal de cabelo incluem:
-Pílulas anticoncepcionais. Pode levar vários meses para se começar a notar alguma diferença.
-Medicamentos antiandrógenos, como espironolactona e flutamida podem ser tentados se as pílulas anticoncepcionais não funcionarem.
-O creme de eflornitina pode retardar o crescimento de pelos faciais indesejados em mulheres.
-A remoção de pelos usando fontes de luz laser ou não laser danifica os folículos de pelos individuais de maneira que eles não crescem novamente. Isso pode ser caro, e são necessários vários tratamentos. A remoção a laser pode ser combinada com outros medicamentos e hormônios.
Glucofage (Metformina), um medicamento que torna as células mais sensíveis à insulina, pode ajudar a regular a ovulação e os ciclos menstruais, prevenir a diabetes tipo 2 e contribuir para a perda de peso quando uma dieta for seguida.
A laparoscopia pélvica para remover uma seção do ovário ou fazer orifícios nos ovários é algumas vezes feita para tratar da ausência de ovulação (anovulação) e da infertilidade. Os efeitos são temporários.

A TODAS AS MULHERES:
- Estejam atentas a diagnósticos de síndrome dos ovários policísticos e obesidade na família.
- Controlem e mantenham seu peso dentro dos padrões recomendados para sua estatura e constituição física.
- Pratiquem esportes ou outras atividades físicas.
- Tenham uma dieta equilibrada e saudável.
- Em caso de dúvidas procurem um médico especialista.

Expectativas
Mulheres que têm esta doença podem engravidar com tratamentos cirúrgicos ou médicos corretos. As gestações são geralmente normais.

Complicações possíveis
-Maior risco de cancer do endométrio.
-Infertilidade (o tratamento precoce da doença ovariana policística pode ajudar a prevenir a infertilidade ou aumentar a chance de se ter uma gestação saudável)
-Doenças vinculadas à obesidade (IMC acima de 30 e circunferência da cintura maior que 90 cm), como pressão arterial alta, problemas cardíacos e diabetes
-Possível risco maior de câncer de mama.

ESTE ARTIGO FOI EXTRAÍDO DE :
Read more

COM QUE ROUPA EU VOU!!

0
Nos dias de hoje, com tantos avanços tecnológicos, estéticos, as mulheres não aparentam a idade que têm (Graças a Deus). Precisamos saber usar a moda a nosso favor. Somos nós que fazemos a moda, e não o contrário. Mas o que se vê por ai é gordinha usando roupa de magrinha e vice versa. Baixinha usando roupa de altinha. Velhinha usando mini saias que nem a novinha usa. 
A mulher de trinta não precisa mudar para aparentar ser mais nova, ela está na sua melhor fase, precisa mesmo é ter bom senso e valorizar o que mais tem de mais bonito.
Aí vão dicas de moda para mulheres MARAVILHOSAS.
São três os estilos que escolhi: as baixinhas, gordinhas e é claro, mulheres após os 30 anos. Confira ótimas dicas que encontrei por ai.
BAIXINHAS:
1-Looks para baixinhas e magras
Para compor looks que valorizem, as baixinhas podem usar peças que alonguem a silhueta, o segredo está em usar roupas que criem um efeito de continuidade, uma espécie de linha vertical no corpo, portanto, podem começar eliminando do guarda roupa todas as peças que criem efeito linha horizontal do corpo, como listras, pregas e barras estilo italianas, que podem achatar o corpo da mulher baixinha, assim como peças muito estampadas, que não favorecem em nada nos looks.
Mulheres baixinhas e de bem com a balança, com quadris e coxas proporcionais ao corpo podem usar looks mais ajustados ao corpo, como as calças skinnys, shorts e vestidos, que podem e devem ser mais curtinhos, pois alongam as pernas. As peças de cintura alta podem ser usadas para compor looks estilosos, pois ajudam a alongar a silhueta, porém opte sempre em usar saia de cintura alta que seja mais justa e curta, pois quanto mais pele à mostra, mais alta você tende a parecer. Mulheres baixinhas devem evitar looks com peças de cores contrastantes, principalmente entre a parte de cima e de baixo, para baixinhas o ideal são peças monocromáticas com base em um único tom, que pode ser mais claro ou mais escuro.
2-Looks para baixinhas acima do peso
Para criar um visual mais alongado e disfarçar o excesso de peso, mulheres baixinhas podem usar e abusar de looks com alguns truques, como os lenços soltos no pescoço com pontas caídas na vertical do corpo, já peças com babados, laços, figuras e estampas muito grandes não valorizam em nada o look da mulher baixinha, por isso, fiquem longe de looks assim. Outra dica é investir em blusas e vestidos com decote em formato V que alongam a silhueta, fazendo a baixinha parecer mais alta e mais magra, as baixinhas podem abusar de peças em listras finas e sempre na vertical, nunca horizontal
Baixinhas e gordinhas devem fugir de calças, saias e shorts muito justos ao corpo, pois são looks que evidenciam ainda mais as gordurinhas e podem expor a barriga saliente, opte sempre em usar modelos retos ou de lavagem escura, com cós e mais larguinhas, que disfarçam o volume do abdômen, looks compostos por calças afuniladas devem ser totalmente evitadas. Saias e vestidos devem ser sempre no formato A, curtinho ou até a altura dos joelhos que além de realçar, ainda alongam o corpo.
Para valorizar ainda mais os looks, as baixinhas podem e devem investir em acessórios, mas cuidado, evitem peças ou bolsas muito grandes que não combinam em nada com a delicadeza das baixinhas, procurem usar peças como brincos, colares de médios a pequenos e evitem as bolsas máxis, que normalmente escondem a mulher de estatura baixa. Como não é só a roupa que influencia na composição de looks, estejam atentas aos sapatos também, invista em saltos altos que são os amigos número 01 das baixinhas, embora sapatilhas também possam ser usadas, pois como deixam a região do pé à mostra causam uma impressão de continuidade, alongando a silhueta.

GORDINHAS
1.Prefira roupas com mangas para não deixar as gordurinhas em evidência. Modelos com mangas mais soltas, como o estilo 'morcego', facilitam os movimentos e deixam você linda.
2-Compre jeans e calças em tons mais sóbrios e com modelagens retas que alongam a silhueta. O sapato de salto mais grosso, na mesma cor da calça também ajuda a deixar você mais elegante.
3- Aposte nas blusas e vestidos transpassados. Eles marcam a cintura e se ampliam na altura do quadril, disfarçando a barriga.
4-Túnicas são ótima opção para alongar a silhueta e disfarçar gordurinhas.
5-Vestidos e saias em modelos evasê não marcam e caem muito bem.
6-Prefira estampas miúdas e médias com fundos escuros. Um truque certeiro é apostar nas peças estampadas na parte do corpo em que você é menorzinha. Combine com outra peça lisa, na mesma tonalidade do fundo da estampa.
7-As listras que estão na moda são permitidas, sim! Use as verticais e transversais que alongam a silhueta. As horizontais podem deixar você mais cheinha. Use-as apenas se estiverem em fundo escuro e forem bem fininhas.
8-As cores fortes também são permitidas. Basta usar o tom mais escuro do color blocking na parte mais volumosa do corpo.
9-As gordinhas costumam ter pernas lindas! Aposte nas saias e vestidos para chamar a atenção para esta parte do corpo. Como já dissemos, modelos em evasê são os mais indicados. Com comprimento na altura do joelho ou pouco abaixo ficam elegantes.
O QUE USAR APÓS OS 30 ANOS?
Quando se tem trinta, trinta e poucos anos, digamos que seja esta a fase onde trabalhamos, temos família e muitas responsabilidades, mesmo assim ainda somos jovens e devemos nos valorizar! Então apostem em:
1-Vestidinhos com tecidos leves e esvoaçantes, cores vibrantes e estampas. Pelo estilo do vestido o tamanho deve ser do joelho até acima do joelho.
2-Bons Acessórios… Nada melhor para completar o look do que os acessórios, sejam eles cintos, bolsas, jóias, e demais adereços… Eles fazem a diferença.
3-A Calça jeans skinny pode ser adorada por muitas, porém, odiadas por outras, mas fiquem sabendo que elas combinam com todas as mulheres e fica ótimo com tudo – camisetas, casacos, acessórios, saltos e etc;
4-Jaquetas, todas sabemos que são peças – chaves, pois todas precisam de uma dessas no closet, então que tal o modelo sportswear.

E por ultimo achei esses modelos de vestidos conforme o corpo:
1. Chemisier: o elegante modelo cai bem em qualquer tipo de corpo.
2. Tomara que caia: disfarça barriguinha e valoriza corpos tipo retângulo ou pera.
3. Império: para mulheres com quadril largo, seios grandes ou pequenos, e corpo retângulo ou ampulheta.
4. Tubinho: esconde a barriguinha e valoriza corpos tipo retângulo, triângulo invertido ou ampulheta.
5. Trapézio: disfarça seios grandes e pode ser usado por quem tem corpo tipo triângulo invertido.
6. De alcinhas: valoriza o colo, sendo ideal para quem tem barriguinha, seios pequenos, corpo tipo retângulo, pera ou ampulheta.

PARTE DESSE POST FOI COPIADO. SEGUE AS RESPECTIVAS FONTES:
Read more

ABSOLUTAMENTE CONTRA O ABORTO

2

Art. 5º da Constituição Federal: Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito À VIDA, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade. 
Art. 2º do Codigo Cívil: A personalidade civil da pessoa começa do nascimento com vida; mas a lei põe a salvo, desde a CONCEPÇÃO, os direitos do nascituro.

Vejo o aborto como um assassinato.Quem comete um aborto está matando um ser humano inocente e sem defesa.
Segundo Zilda Arns, médica pediatra e sanitarista, o embrião é um SER HUMANO completo em fase de crescimento tanto quanto um bebê, uma criança ou um adolescente. Com a evolução das ciências da reprodução humana, mais especialmente nas últimas duas décadas, não há a menor dúvida de que a vida do SER HUMANO se inicia no momento da concepção. Eu concordo plenamente com ela. 
Um erro não justifica um outro erro. A mulher tem direitos e deveres, eles não podem interferir ou impedir o direito à vida de outro ser humano, ou seja, o fato de ela ser gestante de um embrião não lhe possibilita qualquer ação que possa prejudicar a vida dele. Ela simplesmente não tem o direito de tirar uma vida, por mais difícil que seja a situação.
Enfim, esse é um assunto muito polêmico, e cada um tem sua opinião. Mas uma coisa é certa, aborto é MORTE.

Uma ilustração:
- "Doutor, o senhor terá de me ajudar num problema muito sério. Este meu bebê ainda não completou um ano e estou grávida novamente. Não quero filhos em tão curto espaço de tempo. Não tenho condições de criar ambos”.
E então o médico perguntou: "E o que a senhora quer que eu faça?"
A mulher, já esperançosa, respondeu: "Desejo interromper esta gravidez e conto com a ajuda do senhor".
O médico então pensou um pouco e depois disse a mulher:
- "Acho que tenho um método melhor para solucionar o problema. E é menos perigoso para a senhora".
A mulher sorriu, acreditando que o médico aceitaria seu pedido.
E então ele completou:
- "Veja bem, minha senhora, para não ter de ficar com os dois bebês de uma vez em tão curto espaço de tempo, vamos matar este que está em seus braços. Assim, o outro poderá nascer. Se o caso é matar, não há diferença entre um e outro. Até porque sacrificar este que a senhora tem nos braços é mais fácil, pois a senhora não correrá nenhum risco."
A mulher reagiu indignada: - "Não doutor! Que horror! Matar uma criança é um crime!".
Depois de refletir, a mãe mudou de idéia. O médico viu que a sua lição surtira efeito. Ele persuadiu a mãe que não há diferença entre matar a criança já nascida e matar uma criança ainda por nascer, mas viva no seio materno. O crime é o mesmo, e o pecado, diante de Deus, também é o mesmo. – autor desconhecido

DIGA NÃO AO ABORTO.>>http://fotosaborto.deog.net/
Read more

MINHA PELE, MINHA VIDA

0

"Mas não tem sentido comparar-se a alguém mais jovem. Temos que tentar aparentar e sentir o melhor que podemos para nossa própria idade" Vivian Diller

A chegada dos 30 anos traz o temor de envelhecer. A mulher começa a se olhar mais no espelho. Perceber os detalhes do corpo, rosto, cabelo. As vaidosas redobram os cuidados, as que nunca se cuidaram passam a se cuidar.
As manchas e as rugas são os grandes vilões da pele da mulher de 30 anos.
Eu nunca servi de modelo quando o assunto é pele. Tomo banho lavo o rosto com o mesmo sabonete que uso no resto do corpo e pronto. Mas depois que casei, logo no inicio que comecei a usar o anticoncepcional, ao tomar o primeiro sol , apareceu uma mancha no meio da testa. Ai Meu Deus. O melasma. Para quem não conhece, melasma é uma ou varias manchinhas da cor marrom que a gente adquire com o uso de hormônios (anticoncepcional ) e que carregamos para vida toda. Ela pode até sumir com uso de produtos apropriados, mas qualquer descuido ela volta a aparecer. Filtro solar melhor amigo!! Sol grande inimigo. Simples assim. 
Segundo a Dermatologista Flávia Addor, as mais afetadas por esse problema são mulheres entre 20 e 50 anos, em especial - por uma predisposição genética - as de pele dourada, morena ou mulata. Mas, em países como o Brasil, até as branquinhas podem sofrer com as manchas, devido à alta miscigenação.
O melasma merece atenção, já que nossas mulheres têm grandes chances de desenvolvê-lo, principalmente da região sudeste até o norte do país, por causa de uma delicada combinação: pele mais escura e sol. "Elas são o preço alto da exposição solar, resultado do acúmulo de melanina, o pigmento castanho que se forma estimulado pela luz solar. As brasileiras, na maioria de pele dourada, são alvos frequentes deste verdadeiro ‘efeito colateral’ do bronzeado", alerta a dermatologista Ligia Kogos.
Porém, não é somente na presença do sol que as mulheres devem se preocupar as marcar escuras. Flávia afirma que "a radiação que é a principal responsável pelo melasma não é ultravioleta B, mas o A (presente durante o dia inteiro) e mais recentemente, comprovou-se que a luz visível também desencadeia um papel importante".
Além da combinação que deixa boa parte da nossa população mais vulnerável, existem hábitos estéticos que favorecem o aparecimento de melasma, como aponta Ligia. "Traumatismos constantes como depilação por cera também podem ser uma das causas das manchas espalhadas pela face, assim como esfoliações sem a devida proteção solar".

E as rugas!!!
“As rugas se formam devido à predisposição genética de cada uma, que pode ser piorada por exposição solar. Tudo isso leva à quebra do colágeno e desestruturação das fibras elásticas, acarretando nas rugas”. A explicação do dermatologista Adilson Costa vem acompanhada da orientação de que, para evitar o aparecimento precoce das rugas, é necessário cuidar muito bem da pele.
Os principais cuidados devem acontecer antes de sair de casa e antes de dormir. Usar filtro solar é primordial e deve se tornar hábito diário de quem quer ter uma pele bonita por mais tempo. O hidratante à noite, antes de adormecer, também é forte aliado.
Mas enfim, as rugas vão aparecer, portanto, é uma boa aprender a lidar com elas. A musa Sharon Stone, 54 anos, tem uma visão interessante sobre o assunto.
Recentemente, a atriz afirmou que acha que ficar mais velha atrai os homens, já que mulheres mais velhas são mais propensas a “perdoar e abraçar”. "Eles adoram uma linha ao redor dos olhos ou da boca porque isso diz que você riu e você vai rir, vai perdoar e abraçar. Os homens querem saber que você vai ser perdoar e abraçar”, disse Sharon.

Parte desse post foi extraído de: vilamulher.terra.com e bolsademulher.com
Read more

Seguidores

Facebook

Conheça

Conheça
A Idade de Ser Feliz

Participamos

 
Copyright 2011 APÓS OS TRINTA ANOS. Designed by Cute Templates Blogger.
Thanks to: Link 1, Link 2, Link 3.